segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Old Dragon Day 2017: Caçada nas Terras Gélidas!

Novembro é o mês de aniversário do Old Dragon, e após todas as novidades já anunciadas este ano para nosso querido velho dragão, é chegada a hora do Old Dragon Day, o evento anual de comemoração do aniversário do jogo.


Como de costume, o Old Dragon Day é um evento aberto, gratuito, que ocorre em todos os lugares onde os mestres que se inscreveram mestram a aventura oficial inédita disponibilizada pela Redbox Editora. A data oficial deste ano é 19 de Novembro, mas você pode mestrar quando quiser, quantas vezes quiser!

Mas é melhor deixar a própria equipe da editora explicar:

Old Dragon Day ’17

Senhoras e senhores, com vocês a edição de 2017 do Old Dragon Day (#odday17)! Este ano, no domingo 19/11 (novembro), todo o Brasil se junta para comemorar o aniversário do nosso querido Old Dragon. Em 2017 o Old Dragon completa 7 anos (9 de projeto), começando como um jogo de nicho e tornando-se o maior RPG old school do país.

O esquema é o de sempre: os mestres inscrevem suas mesas ou criam um evento, público ou privado, e recebem uma aventura oficial para rolar nesse dia. Como vocês já sabem, divulgamos apenas o domingo, mas vocês podem fazer o evento nos dois dias do fim de semana ou no sábado se quiserem. Continua sendo oficial – só não dê spoilers se fizer no sábado!

A aventura oficial deste ano se chama Caçada nas Terras Gélidas, a busca alucinante do mentor dos personagens dos jogadores, um herói local que foi sequestrado por forças desconhecidas. Após uma jornada nas frias terras da Norklúndia, os aventureiros precisam desbravar uma cripta ancestral e enfrentar perigos mais arrepiantes que o inclemente frio do ártico…

Segunda-feira postaremos aqui seis personagens prontos e começamos a enviar a aventura aos inscritos. A partir de então, como via de regra, ao se inscrever você receberá em até 24 horas o PDF da aventura. Então corre e inscreve logo sua mesa! A lista de mesas também será atualizada diariamente a partir da segunda, então aqueles que quiserem ver se haverá jogos na sua cidade devem ficar ligados.

Não se esqueçam também de tirar uma foto bacana do seu evento e enviar pra gente! Como em todo ano, as três melhores fotos receberão prêmios (breve mais detalhes, no nosso Facebook).

Para inscrever sua mesa e receber a aventura oficial gratuita em PDF, basta acessar a página do evento e clicar no botão "Rolar Iniciativa" presente no fim do anúncio. Aí é só aguardar o PDF ser enviado e se preparar para a aventura!

Ou caso você não deseje mestrar, você pode acessar a lista de mesas cadastradas e procurar uma perto de você que aceite jogadores de fora, desbravar as Terras Gélidas, e quem sabe de quebra fazer alguns novos amigos.

sábado, 4 de novembro de 2017

Segundo Preview de Legião: As Raças!

Após liberar imagens da introdução do livro de cenário de Legião: A Era da Desolação, a Redbox Editora nos presenteou com um segundo preview; desta vez, ilustrando as raças disponíveis para montagem de personagens no cenário:

Clique para ver as raças em toda sua glória.

Em Legião, além das já clássicas raças dos humanos, anões e elfos, teremos os tão esperados meio-elfos adaptados para o Old Dragon. Em Legião não há halflings, mas em contrapartida, há um punhado de novas raças para escolher: os sombrios tenebruns, os sinistros anões da sombras, os bizarros grizzis, e os imensos voldas (os quais eu tive o prazer de adaptar para o Guia de Raças do Old Dragon).

Continuamos aguardando o anúncio da data de pré-venda de Legião, que deve ocorrer ainda este ano.

domingo, 22 de outubro de 2017

Anunciada Data do Financiamento Coletivo da Coleção Kimeron 2017

A Kimeron Miniaturas anunciou a data do financiamento coletivo da sua coleção de miniaturas 2017: 08 de Dezembro.


A campanha de financiamento coletivo acontecerá através da plataforma Catarse, e contará com mais de 60 modelos novos de miniaturas.

Conforme anunciado pela própria Kimeron Miniaturas em sua página do Facebook:

É com muito prazer e entusiasmo que anunciamos a data de nosso financiamento coletivo!

Fruto de quase um ano de trabalho e aprimoramento para atender aos pedidos de nosso fãs, seguidores e apoiadores, traremos a todos uma coleção rica em monstros e criaturas para enriquecer ainda mais nossas seções de RPG;

Porque o financiamento coletivo?

Acreditamos que usufruindo deste tipo de plataforma poderemos alcançar um público ainda maior de entusiastas, resultando num maior volume de capitalização, trazendo não só um produto com maior qualidade mas também um preço ainda mais atraente para nossos consumidores.

Coleção, metas e brindes!

Contaremos com aproximadamente 60 modelos de criaturas em nossa nova coleção, além de várias metas com as quais agraciaremos nossos apoiadores com brindes e miniaturas exclusivas desta campanha.

Marquem a data meus caros, dia 08/12 nossa campanha entra no ar, trazendo uma coleção simplesmente épica para todos que acompanham nosso trabalho...

Desde já nosso muito obrigado de toda a equipe Kimeron Miniaturas!!!

Contamos com seu apoio!!!

Só nos resta aguardar pelo dia 08 de Dezembro!

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Começou a Pré-Venda de O Culto do Caos Elemental!

E como eu havia comentado na última postagem, a Redbox Editora está a toda com os anúncios. E o mais recente é o início da pré-venda de O Culto do Caos Elemental!


O Culto do Caos Elemental é a quarta e última aventura da série de aventuras clássicas do Old Dragon, pensada para personagens de nível 12 a 15, e com uma relação direta com a aventura do Old Dragon Day 2014 - A Fortaleza Sombria (que de certo modo pode ser considerada a aventura clássica 3,5 do Old Dragon).

A aventura é inspirada na famosa aventura The Temple of Elemental Evil, escrita por Gary Gygax e Frank Mentzer para o AD&D 1ªed, e que de tão famosa virou até vídeo-game.

Confira a sinopse da aventura, de acordo com a própria editora:

A lenda diz que séculos atrás uma ordem de cavaleiros derrotou um mal antigo liberado por poderosos arcanos. Da entidade restou apenas um resquício, que eras depois seria a ruína para a ordem sagrada. Das sombras desta tragédia, surgiu então um culto macabro para trazer o terror às terras livres...

A longa estrada percorrida pelos jogadores chega a um capítulo decisivo em O Culto do Caos Elemental, um módulo de aventura para os níveis 12 a 15 que fecha com chave de ouro as quatro grandes aventuras clássicas de Old Dragon.

Após descobrir os sinais de que algo grande e horrendo está para acontecer, os agora famosos heróis devem invadir e explorar uma gigantesca catedral e derrotar as ameaças das quatro facções elementais e enfrentar os vilões mais terríveis de suas carreiras!

Durante a pré-venda, O Culto do Caos Elemental sai pelo preço promocional de R$ 34,90 e dá direito ao PDF da aventura de brinde. A aventura está à venda na loja virtual da Redbox, e tem previsão de entrega para 17 de Novembro de 2017.


Além disso, a Redbox também está com kits de dados de luxo (marmorizados, perolizados ou gliterizados) em pré-venda, pelo mesmo valor de R$ 34,90. Os kits possuem 7 dados cada (d4, d6, d8, d10, d10 dezenado, d12 e d20), estão disponíveis em 5 cores distintas, e tem previsão de entrega também para 17 de Novembro.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Primeiro Preview Interno de Legião: A Era da Desolação

A Redbox Editora está a todo vapor nesse segundo semestre de 2017 e não para de trazer novidades. Entre elas está a divulgação do primeiro preview da diagramação interna do livro de cenário Legião: A Era da Desolação!

Clica aí pra ver direito!

Pra quem não sabe, Legião é o próximo cenário a ser lançado oficialmente para Old Dragon - e há quem diga, o mais esperado dos lançamentos para o jogo. O cenário é de autoria de Antonio "Mr. Pop" Sá Neto e deve entrar em pré-venda em breve.

De acordo com a página oficial do cenário, Legião deve ser lançado em um boxed set contendo o livro básico detalhando o cenário, uma divisória do mestre, 4 cartões informativos, um mapa pôster, um tabuleiro de Corsário (um jogo de tabuleiro típico do cenário), e 49 marcadores de moedas.

E não dá para negar que o layout do livro está ficando muito bonito, com interior totalmente colorido e ilustrações de primeira qualidade. Não vejo a hora de botar minhas mãos nesse cenário!

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Últimos Previews da Coleção Kimeron 2017

A Kimeron Miniaturas vêm preparando sua coleção de miniaturas 2017 já a algum tempo. Semana passada a empresa divulgou o que disse ser provavelmente o último preview dessas peças, e prometeu que a data do financiamento coletivo da coleção deve ser anunciada ainda este mês.

Ainda que eu já tenha mostrado várias peças dessa nova coleção por aqui, há muitas que foram divulgadas que ainda não foram mostradas. Então, preparando o terreno pro vindouro financiamento e atiçando a vontade da galera, aí vão mais alguns previews!

Haverá um par de carniçais muito bacana:

Carniçais que não parecem simples zumbis! Excelente!

Um ceifador sinistro, para levar as almas do pobres aventureiros desafortunados que enfrentarem essa gama toda de monstros:

Realmente sinistro...

Para complementar a nova linha de goblins, juntando-se aos outros que já foram mostrados antes, haverão mais dois monstrinhos verdes (ou amarelos, como cada um preferir):

Goblin arqueiro.

Goblin bárbaro.

A nova coleção de goblins, completa.

Teremos também um lobisomem para apavorar os aventureiros:

Prevejo testes para tentar evitar licantropia...

E também um minotauro guerreiro que também pode servir como um personagem de jogador bem bacana pra quem usa o Guia de Raças Old Dragon:

Esse minotauro de armadura ficou muito bacana!

E também um centauro incrível:

Esse também dá um ótimo personagem de jogador!

E por fim, uma nova escultura de ogro, armado de machado e escudo:

Ogro picota homenzinho!

Agora resta aguarda o anuncio do financiamento para sabermos datas e valores.

sábado, 14 de outubro de 2017

Ficha de Personagem Para Thordezilhas

A Redbox Editora atendeu aos pedidos e disponibilizou fichas de personagem oficias para o primeiro cenário publicado pela editora para o Old Dragon: Thordezilhas - Sabres & Caravelas!


A ficha de personagem oficial pode ser baixada gratuitamente na página da Redbox, em sua versão normal, e também em versão printer-friendly.

As fichas, de autoria de Faz Maldov e Dan Ramos, incluem também uma planilha de uma página para descrever um navio, seja o navio dos aventureiros, ou os navios dos NPCs do mestre em sua campanha!

É só baixar agora e sair velejando em aventuras pelo alto-mar!

R.I.P. Douglas Quinta Reis

Faleceu na madrugada do dia 13 de Outubro Douglas Quinta Reis, diretor editorial da Devir Livraria. Ele tinha 63 anos, e foi vítima de um ataque cardíaco fulminante.


Para aqueles que não o conheceram, Douglas foi, junto com Mauro Martinez dos Prazeres e Walder Mitsiharu Yano, um dos fundadores da Devir a 30 anos atrás, na cidade de São Paulo. A empresa que começou como uma importadora de quadrinhos e RPGs estrangeiros, logo tornou-se uma grande editora editora de quadrinhos e literatura de ficção.

Mais do que isso, graças a Douglas, a Devir se tornaria uma pioneira na publicação de RPGs no Brasil - e por muito tempo a maior editora do gênero em nosso país. E a Devir não ficaria apenas no Brasil, tendo sido expandida para Portugal, Espanha, e diversos países da América Latina - sempre levando o RPG com ela.

Claro que eu tenho minhas críticas à Devir pela forma como os RPGs vinham sendo tratados na editora nos últimos anos - acho que praticamente todo rpgista brasileiro as têm, mas também nunca deixei de reconhecer a importância que a editora possui para o hobby, e o bom trabalho realizado naqueles tempos difíceis dos anos 1990. E mais do que isso, apesar das críticas para com a Devir, nunca tive nenhuma crítica ao Douglas.

Não posso dizer que era realmente amigo de Douglas; eu o conheci pessoalmente, conversamos algumas vezes, mas nunca fomos próximos. Mas posso dizer que ele sempre foi um cara muito educado, muito tranquilo, e que demonstrava verdadeiro amor pelo RPG.

Devemos todos muito a esse cara, que agora se foi. Sem ele talvez não tivéssemos o RPG no Brasil nos anos 1990. Não teríamos Magic: The Gathering, um jogo que por muitos anos me divertiu. Certamente o cenário de quadrinhos no país seria mais pobre, e muitos autores nacionais de renome teriam tido mais dificuldades em suas carreiras.

Ele também ajudou a fundar a LVDVS CVLTVRALIS, que difundia o RPG e realizava projetos educacionais usando o RPG como ferramenta (da qual eu fiz parte do núcleo Curitiba, e através da qual eu o conheci), ajudou na realização dos Simpósios de RPG e Educação, e encabeçou todos os Encontros Internacionais de RPG (EIRPG) que por muito tempo foram os maiores eventos do gênero no país.

Ele não foi importante apenas para nós, nesse pequeno hobby de nicho, foi importante para o que hoje chamamos de "cultura geek" em geral. Não à toa, seu falecimento foi noticiado em jornais e revistas de grande circulação.

Jaime Daniel Rodriguez Cancela, um também ilustre membro do cenário geek paulistano (e antigo companheiro na LVDVS CVLTVRALIS), sugeriu que transformássemos o dia do aniversário de Douglas (24 de Fevereiro) no Dia do RPG Nacional. A proposta recebeu apoio de grande parte das editoras locais, e eu também acho adequado - nada melhor do que homenagear alguém que fez tanto pelo hobby por aqui.

Vá em paz, Douglas, sabendo que sua missão foi cumprida com êxito.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Financiamento Coletivo: D17, D19, D26 e D28 Pela Impact! Miniatures

Está reaberta a temporada de dados estranhos!


Os quatro novos formatos de dados.

Com isso a Impact! Miniatures encerra um projeto iniciado a alguns anos atrás, de produzir dados com todos os números de faces do D3 até o D20, e todos os dados com números pares de faces do D4 até o D30.

Para quem está se perguntando se os dados sã ode qualidade, ou se a empresa é confiável e não há risco de participar deste financiamento, eu afirmo: pode participar sem medo. Este já é o quarto financiamento coletivo da empresa que eu participo, todos envolvendo a produção de dados de formas incomuns, e nenhum nunca teve problemas sérios.

A empresa sempre abre seus financiamentos com seus dados já modelados e faltando muito pouco para iniciar a produção de fato. O único problema que pode haver é com alguma demora na entrega pelas fábricas na China.

A linha completa de dados com número incomuns de lados da Impact!

O financiamento coletivo teve início dia 10 de Outubro e ainda dura por mais 14 dias, encerrando-se no dia 27 de Outubro. A plataforma utilizada para o financiamento é o Kickstarter (ou seja, você provavelmente necessitará de um cartão de crédito internacional para poder participar).

Nesse momento o projeto já está financiado (os dados já estão garantidos!), e também já há uma meta adicional bem legal liberada: um D3 realmente com apenas 3 lados! Com isso são 5 modelos de dados completamente novos nesse financiamento!

Os D3 com apenas 3 faces, apelidados de "Apple D3".

É possível adquirir dados no financiamento a partir de US$ 2,00 a unidade (cerca de R$ 6,34 pela cotação de hoje), havendo kits variados com valores mais em conta por unidade.

Além disso, desde o último financiamento coletivo a empresa possui dados fosforescentes, e você pode optar por esta "cor" para seus dados (e ter dados que brilham no escuro)! E a próxima meta adicional é uma nova cor para todos os modelos.

Se você gosta de dados estranhos, como eu, aconselho acessar a página do financiamento coletivo e dar uma olhada. Você não vai resistir a participar!

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Vem Aí o Old Dragon Day 2017!

A Redbox Editora divulgou esse teaser do Old Dragon Day 2017:


Não foram divulgados muito detalhes até o momento, mas o pouco que se sabe é que a aventura do evento deste ano será ambientada em Legião, o tão aguardado vindouro cenário oficial do Old Dragon.

O Old Dragon Day é o evento de comemoração anual de aniversário do Old Dragon, e acontece sempre em Novembro (o Old Dragon foi lançado em 03 de Novembro de 2010).

Mais informações devem ser divulgadas em breve.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Financiamento Coletivo: Forja Profana Miniaturas Colecionáveis

Iniciou hoje no Catarse o financiamento coletivo da linha de miniaturas da Forja Profana. Mas o que é a Forja Profana?

Forja Profana é uma nova empresa de miniaturas de RPG que está entrando no mercado agora, mas encabeçada por gente que já possui experiência no ramo. Este financiamento coletivo é a primeira empreitada desta nova empresa, e visa não só lançar sua primeira coleção de peças, como também juntar capital para viabilizar a estrutura da Forja Profana.


As miniaturas dessa coleção inicial foram todas esculpidas por Boris Woloszyn, um excelente escultor brasileiro com diversos trabalhos no exterior na área de miniaturas para RPG.

A coleção inicial é formada por 20 miniaturas, entre monstros e aventureiros, na escala 32mm (compatíveis com a maior parte das miniaturas de RPG do mercado), confeccionadas em liga metálica de alta qualidade.

Abaixo vocês podem ver um vídeo onde o idealizador do projeto, Yargo Reis, fala um pouco sobre a Forja Profana:


No financiamento coletivo há a opção de adquirir as miniaturas desmontadas (algumas miniaturas possuem mais de uma parte) e sem pintura, ou já montadas, pintadas e envernizadas. A pintura nesse caso é artesanal, feita à mão.

Um kit com 5 miniaturas sem pintura sai no financiamento por R$ 56,00 e o mesmo kit já pintado sai por R$ 93,00. É possível também adquirir kits com as 20 peças inicias, e kits com as 20 peças iniciais e todas as metas extras que forem alcançadas, obviamente, por valores mais altos.

O único ponto baixo do financiamento é que não é possível escolher as miniaturas dos kits, todos eles possuindo uma configuração padrão. Mas de acordo com o pessoal da Forja Profana isso é devido a uma questão logística e de limitação da plataforma do Catarse.

Um exemplo da qualidade de escultura das miniaturas da coleção inicial.

A campanha de financiamento coletivo estende-se até dia 09 de Dezembro de 2017, e tem como meta inicial R$ 35.000,00.

Se você se interessou, visite a página do financiamento no Catarse e apoie esse projeto.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

O Ídolo da Semana

O ídolo da semana:


A imagem acima é de uma das peças cujo design faz parte do financiamento coletivo da coleção Dragonlock 3, da Fat Dragon Games.

O Dragonlock Terrain System é uma iniciativa da Fat Dragon Games de criar arquivos para impressão 3D de peças de cenário para RPG. A empresa está em seu terceiro financiamento coletivo, onde você adquire os arquivos de impressão e produz as peças você mesmo, no número de cópias que desejar (ou seja, você precisa possuir uma impressora 3D, ou ao menos ter acesso a uma).

A arte conceitual da miniatura.

A miniatura mostrada na peça de propaganda acima recebe o nome de Giant Demon Statue, de acordo com a arte conceitual das peças, e é claramente inspirada no Demon Idol de Trampier - ainda que o resultado final seja consideravelmente diferente.

O Kit do Mestre Old Dragon Está em Pré-Venda!

O Kit do Mestre Old Dragon entrou em pré-venda ontem, dia 18 de Setembro.


A descrição do Kit, de acordo com a própria editora:

Deixe suas aventuras ainda mais divertidas com este incrível acessório. O KIT DO MESTRE OLD DRAGON Contém:
  •     Divisória em 4 painéis do tipo "capa-dura";
  •     Aventura Exclusiva "Derrubem a Torre (AB2);
  •     Marcadores de Iniciativa e condições de combate;
  •     Grid de Combate frente e verso no tamanho A3 riscável e apagável.
Tanto o Grid quanto os marcadores de iniciativa e condições são fabricados com um revestimento vinílico que permitem o uso de canetas de quadro branco, solúveis em água, para escrever e apagar indefinidamente.

Faça mapas, anotações, mostre esquemas, demonstre visualmente aos seus jogadores suas descrições e deixe seus combates ainda mais táticos inserindo elementos no campo de batalha.

Use os marcadores de iniciativa para organizar seus combates. Deixe seus jogadores saberem a ordem correta de agir. Acelere os combates e torne seu jogo mais ágil e dinâmico. Controle precisamente informações como turnos e rodadas com os marcadores brancos e adicione condições não permanentes aos personagens.

Nunca mais esqueça de contabilizar bônus ou penalidades usando os marcadores riscáveis e apagáveis do Kit do Mestre Old Dragon!

E Claro, não esqueça que durante a pré-venda o Kit poderá ser adquirido através de preço promocional e PDF gratuito e exclusivo da aventura e do escudo e wallpaper da maravilhosa arte da divisória!

O Kit do Mestre Old Dragon pode ser adquirido diretamente na loja virtual da Redbox Editora, ao preço promocional de R$ 59,90 na pré-venda. Comprando na pré-venda, você ganha também o PDF da aventura e do escudo do mestre.

A previsão de entrega é para 15 de Outubro.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

O Culto do Caos Elemental - A Última Aventura Clássica do Old Dragon!

A Redbox Editora anunciou hoje o lançamento da última aventura de sua série de Aventuras Clássicas do Old Dragon: O Culto do Caos Elemental!

Quem terá coragem de entrar no Templo do Caos Elemental?

O texto da contracapa explica tudo o que você precisa saber sobre a aventura:

A lenda diz que séculos atrás uma ordem de cavaleiros derrotou um mal antigo liberado por poderosos arcanos. Da entidade restou apenas um resquício, que eras depois seria a ruína para a ordem sagrada. Das sombras desta tragédia, surgiu então um culto macabro para trazer o terror às terras livres...

A longa estrada percorrida pelos jogadores chega a um capítulo decisivo em O Culto do Caos Elemental, um módulo de aventura para os níveis 12 a 15 que fecha com chave de ouro as quatro grandes aventuras clássicas de Old Dragon.

Após descobrir os sinais de que algo grande e horrendo está para acontecer, os agora famosos heróis devem invadir e explorar uma gigantesca catedral e derrotar as ameaças das quatro facções elementais e enfrentar os vilões mais terríveis de suas carreiras!

Obviamente, como todas as aventuras da série clássicas do Old Dragon, esta é inspirada em uma aventura clássica do D&D - no caso, The Temple of Elemental Evil, de 1985.

O Culto do Caos Elemental entra em pré-venda em Outubro (ainda sem dia definido), ao preço de R$ 34,90.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

#RPGaDay 2017: Como Você Fica Sabendo a Respeito de Novos RPGs?

E a última questão que faltava responder no RPGaDay 2017, referente ao dia 03 de Agosto, é como eu me informo a respeito de novos RPGs.

Bem, nenhum grande segredo aqui, acho que faço da mesma maneira que a maioria das pessoas: blogs e páginas do Facebook. Com isso eu acompanho as notícias e fico sabendo das novidades do mundo RPGístico com certa tranquilidade.

Claro que também tenho alguns amigos que trabalham no ramo, e assim sempre dá pra ficar sabendo uma ou outra coisa com alguma antecedência - mas não muito também, afinal deve-se manter um certo sigilo comercial, né?

E, claro, sempre tem o Guido.

domingo, 10 de setembro de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Você Gostaria de Ver Publicado?

Continuando as questões que faltam, no dia 2 a pergunta era o RPG que eu gostaria de ver publicado. O que significa algo que ainda não exista. E vou mais além: não irei considerar como resposta válida jogos que ainda não foram publicados mas cujos lançamentos já foram anunciados.

No fim, resta pouca área sobre a qual trabalhar aqui, visto que existe RPG sobre praticamente todo tipo de coisa ou assunto. Mas pensando um pouco aqui eu consegui encontrar algo que eu gostaria de ver publicado: Cavaleiros do Zodíaco RPG!

Uma das razões de eu escolher um jogo sobre Cavaleiros do Zodíaco é o fato de que um dos primeiros jogos de RPG que eu tentei escrever na minha vida foi um baseado nessa série de anime. Basicamente ele se resumia a um sistema de combate razoavelmente complexo (que usava apenas porcentagem), e regras para as armaduras, e resultava em partidas com lutas extensas e disputadas e quase nada mais do que isso (e tinha o nome horrível de "Cavaleiros Universais" - mesmo naquela época eu já sabia a importância de raspar os números de série...). Eu devia ter uns 12 ou 13 anos nessa época.

Até que era um trabalho bom, considerando que tudo o que eu conhecia de RPG eram D&D e GURPS.

Mas outro fato que me admira é o de não existir um RPG oficial desse cenário. Ou ao menos, se existe eu desconheço totalmente. Claro, há uma velha adaptação da Dragão Brasil, para o sistema 3D&T, se não estou enganado. Mas não podemos considerar isso como uma publicação de verdade - o sistema sequer foi construído pensando especificamente em reproduzir a experiência vista nos episódios do anime (ou nas páginas do mangá).

Enfim, eu gostaria de ver um RPG oficial de Cavaleiros do Zodíaco, certamente seria divertido jogar algumas partidas. Enquanto isso não acontece, quem sabe eu tente recriar meu velho jogo de volta para botar o bom e velho Rigel de Órion na arena novamente!

sábado, 9 de setembro de 2017

Anunciado o Kit do Mestre Para Old Dragon

A Redbox Editora anunciou ontem a pré-venda do Kit do Mestre do Old Dragon, que deve se iniciar ainda neste mês de Setembro.

Mockup do novo escudo do mestre e aventura.

De acordo com o que foi divulgado pela editora, o novo Kit do Mestre contém:

- Divisória do mestre: quatro painéis A5 em papel resistente Holler 1mm (estilo capa dura de caderno) com as tabelas mais usadas do Old Dragon para consulta, com uma nova arte espetacular. Este produto é completamente diferente da antiga divisória do Old Dragon, e a nova arte pode ser vista aqui.

- Aventura exclusiva Derrubem a Torre!: módulo AB2 (continuando Morte na Escuridão, aventura da Caixa Básica Old Dragon) de 16 páginas para personagens de 3º a 5º nível.

- Marcadores de iniciativa: pequenos marcadores para você anotar a ordem de combate dos PJs e inimigos e deixar pendurados na divisória, para fácil visibilidade.

- Grid de combate: um poster quadriculado dobrável e riscável; um lado dungeon, o outro em branco, para quem curte usar miniaturas na hora dos combates.

Gostei especialmente da notícia de que a aventura exclusiva que acompanha o Kit do Mestre trata-se de uma continuação direta da aventura que acompanha a Caixa Básica. Quem sabe no futuro não rola uma aventura vendida separadamente e que fecha o arco começado em Morte na Escuridão e continuado em Derrubem a Torre!, hein?

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Publicado Você Gostaria de Estar Jogando Agora?

Agosto já acabou, assim como o RPGaDay 2017, mas eu ainda fiquei devendo as postagens dos 3 primeiros dias do evento. Como prometi postá-las depois, aqui vai a primeira delas.

A pergunta do dia 1º era sobre qual jogo de RPG existente eu gostaria de estar jogando. Bem, como eu expliquei em outra postagem, estou em uma longa campanha de Legends of the 5 Rings, e não tenho nenhum remorso por isso, mas ao mesmo tempo gostaria muito de estar jogando DCC RPG.

Dungeon Crawl Classics RPG é um jogo que nunca tentei com o meu grupo e que acho bastante divertido. Mas como só possuo os livros em PDF e este é um jogo que requer uma considerável quantidade de consulta ao livro (tabelas de magia, estou olhando para vocês!), além do fato de ser um jogo que não domino muito bem, prefiro aguardar meu livro físico chegar para começar umas experiências com o sistema aqui na minha mesa com minha galera. É torcer para a New Order publicar logo o livro!

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: O Que Você Mais Espera Relativo a Jogos Para 2018?

Para o ano que vem eu espero conseguir jogar um pouco de Dungeon Crawl Classics ou Mutant Crawl Classics (ou os dois, porque não?), jogos dos quais eu participei dos financiamentos coletivos este ano, e até o final do mesmo espero já ter recebido para ter tempo de ler e convencer a galera a jogar até o ano que vem.

Também aguardo o lançamento do tão esperado Legião: A Era da Desolação, cenário oficial do Old Dragon que tem grandes chances de ser publicado até o ano que vem. Legião é um cenário grim fantasy, de autoria de Antonio "Mr. Pop" Sá Neto, um dos coautores do Old Dragon, e que já possuiu algumas encarnações anteriores para o D&D (com um pouco de sorte ainda encontra-se esses netbooks por aí).

O cenário é bem interessante e com toda a preparação cuidadosa que está sendo dada ao cenário para sua publicação para o velho dragão, deverá ser um lançamento incrível. Quero muito ver como será esse boxed set!

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual Mistura de Gêneros de RPG Você Mais Gostaria de Ver?

Essa é uma questão realmente difícil de responder, visto que atualmente quase todas as misturas de gênero já foram feitas, e boa parte delas eu ao menos já dei uma passada de olhos. Por isso mesmo não vou tentar inventar uma mistura de gêneros totalmente nova, nem afirmar que escolhi uma que não existe (porque ela pode existir em algum lugar por aí, só eu que não sei...).

Eu gostaria de ver um RPG que se passasse em um cenário pré-histórico fantástico, mas também povoado por civilizações alienígenas tecnologicamente avançadas. Algo similar ao pano de fundo da antiga série de TV dos anos 1970 Land of the Lost (ou O Elo Perdido, como ficou conhecida no Brasil), só que sem os visitantes do nosso tempo.

Teríamos homens da caverna (de várias espécies, porquê não?) convivendo lado a lado com a megafauna de mamíferos, dinossauros, e civilizações alienígenas ancestrais que dominam regiões inteiras com sua tecnologia avançada. Os jogadores, claro, são os pobres homens da caverna quase sem tecnologia tendo de combater todo um mundo de adversidades para conseguir sobreviver - e com sorte, roubar alguma tecnologia alienígena para garantir o futuro da humanidade!

Delírios de X’agyg Volume 3: Quimera

Seguindo o cronograma oficial, ontem foi liberada a terceira e última parte de Delírios de X'agyg, o primeiro adventure path oficial do Old Dragon.


Quimera é uma aventura escrita por Fabiano Neme (ou seja, espere um TPK...), e traz uma dungeon um pouco diferente do convencional - um hipercubo com uma zona de magia selvagem!

Assim como as duas primeiras partes do adventure path, Quimera é uma aventura é totalmente gratuita. Basta clicar no link e fazer o download.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual a Campanha de Financiamento Coletivo de RPG Mais Bem Conduzida da Qual Você Participou?

Para a resposta de hoje, eu vou desconsiderar todos os financiamentos de acessórios para RPGs, como dados e miniaturas, e focar apenas em financiamentos de jogos em si.

No entanto, eu participo mais de financiamentos de dados e miniaturas do que de jogos mesmo, e boa parte dos financiamentos de RPGs que eu participei ainda não se encerraram - e é difícil dizer se uma campanha de financiamento foi bem conduzida antes dela se encerrar totalmente.

Dentre o que sobra, eu classifico como a mais bem conduzida de todas o financiamento coletivo do Spears of the Dawn, um RPG de fantasia africana que utiliza o mesmo sistema do Stars Without Number.

E porque eu considero esse o financiamento mais bem conduzido do qual participei? Porque quando a campanha teve início o texto do jogo já estava todo escrito, parte das artes já estavam prontas ou ao menos comissionadas, e faltava apenas terminar as demais artes, diagramar e imprimir os livros para quem optasse pela versão impressa.

Não houveram atrasos, falhas de comunicação, nem mudanças de planos. Prazos e valores calculados de maneira realista. Trabalho conduzido com a máxima seriedade possível. Tudo o que foi prometido foi entregue, sem exceção. Na verdade, as recompensas foram entregues mesmo antes do prazo previsto inicialmente. Uma campanha de financiamento coletivo impecável.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual Filme ou Série É a Fonte Mais Frequente de Citações em Seu Grupo de Jogo?

Curiosamente, a série mais citada ultimamente por meu grupo é Os Cavaleiros do Zodíaco.

Talvez seja devido a estarmos jogando uma campanha de Legends of the 5 Rings e toda a influência oriental do cenário que faz com que citemos com frequência um anime que foi marcante na infância de quase todos do grupo.

Claro que a infinidade de bravatas e frases cheias de honradez e orgulho dos personagens da série também cabem perfeitamente em um jogo sobre samurais, até mesmo sendo utilizadas algumas vezes em on pelos personagens da campanha (isso é, como se ditas em jogo pelos personagens)!

domingo, 27 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Quais São Suas Ferramentas Essenciais Para Um Bom Jogo?

Existem muitas coisas que podem ser usadas para colaborar para um bom jogo: livros de consulta, mapas, miniaturas, música, tablets e notebooks, etc.

Mas a verdade é que apenas 4 coisas são essenciais para conduzir um bom jogo: um lápis, um papel de rascunho, dados (ou cartas, dominós, ou o que for equivalente no jogo que estiver usando), e refrigerante (de preferência Coca-Cola, mas pode ser suco, chá, ou outra bebida qualquer).

Todo mundo sabe que dados e refrigerante é o essencial.

Algumas vezes, até sem o rascunho dá pra se virar sem. Mas o restante é essencial. Os dados são as ferramentas básicas da maioria dos jogos, usados para decidir o sucesso de boa parte das ações. O lápis serve para fazer as alterações e anotações necessárias às planilhas dos personagens, ou outras anotações temporárias que o mestre precise realizar. E ninguém consegue jogar um jogo que é essencialmente falado por algumas horas seguidas ficando todo esse tempo de garganta seca.

Todo o resto é supérfluo. Até mesmo mesas e cadeiras (ainda que a idade faça eu achar jogar sentado no chão bastante desconfortável atualmente).

sábado, 26 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Disponibiliza os Recursos Mais Úteis?

Uma pergunta complicada. O que exatamente significa "recursos" nessa pergunta? Seriam ferramentas auxiliares, como props e marcadores? Suplementos de jogo? Ou apenas ferramentas mecânicas, tabelas e outras coisas encontradas dentro do(s) próprio livro(s) básico(s) do jogo?

Dentre cada uma destas opções, há vários jogos que se destacam. Chopstick faz um uso primoroso de props, dados e marcadores para enriquecer a experiência de jogo. As tabelas do Dungeon Master Guide do AD&D 1ªed são magníficas e uma boa adição a qualquer jogo de fantasia. Mas vou focar mais na terceira opção do que seriam esses "recursos" e escolher outro jogo como o vencedor nesses quesitos.


Para mim GURPS é o jogo que disponibiliza os recursos mais úteis para a condução do jogo. Sua natureza genérica (na minha opinião um dos poucos sistemas realmente genéricos) faz com que ele tenha uma infinidade de recursos que são uma mão na roda na hora de conduzir os jogos. As razões disso eu já expliquei em parte no dia 16, e não quero me repetir aqui.

Os suplementos de GURPS também estão entre alguns dos melhores e mais completos de todos os jogos de RPG, cheios de informações úteis a serem usadas na condução de jogos, sejam aventuras one shot ou campanhas inteiras (ou mesmo jogos de outros sistemas).

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual a Melhor Maneira de Agradecer ao Seu Mestre de Jogo?


Alguns jogadores gostam de elogiar, outros até dão presentes, mas a melhor maneira de agradecer ao seu mestre de jogo pelo seu empenho em bolar e conduzir as aventuras que todo o grupo joga é aparecendo sempre para jogar e participando ativamente da aventura.

Eu digo isso com conhecimento de causa, pois frequentemente sou o mestre nos jogos do meu grupo, e nada me deixa mais contente do que quando os jogadores se empenham em não faltar ao jogo e se esforçam para ter um papel ativo no mesmo. Não existe maneira melhor de pagar o empenho e esforço do mestre para criar as aventuras do que devolvendo esse empenho e esforço ao participar dessas mesmas aventuras.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Compartilhe Uma Editora “Pague o Quanto Quiser” (PWYW) Que Deveria Estar Cobrando Mais

Respondendo à pergunta do dia de hoje, eu recomendo darem uma olhada no trabalho de James V. West.

De fato, nem todos os produtos dele são vendidos na modalidade PWYW. No entanto, o seu fanzine Black Pudding está enquadrado nessa modalidade, e é uma verdadeira pérola da OSR.

Com 3 edições até agora, o fanzine traz magias, itens, monstros, classes de personagem, aventuras e outros recursos compatíveis com a maioria dos retroclones e edições do D&D. De fato, Black Pudding traz algumas das classes de personagens mais criativas que eu vi nos últimos tempos.

Além disso, o fanzine tem um visual muito bacana, com muita arte espalhada pelas páginas acompanhando o texto de forma magnífica.

O material é tão interessante que certamente James West poderia estar cobrando mais por ele que ainda assim valeria à pena.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Tem Um Layout de Cair o Queixo?

Primeiramente, eu sinto o dever de deixar claro que eu não tenho certeza do uso correto do termo "layout". Mais importante, não tenho certeza do que querem dizer com "layout" nessa pergunta. Vou assumir que significa algo como o projeto gráfico do livro como um todo, o arranjo final do texto e ilustrações nas páginas, capa, fontes utilizadas, etc.

Para esse pergunta, há dois livros que eu gostaria de citar. O primeiro é o primeiro Clanbook Malkavian, um acessório do Vampiro A Máscara. Esse livro brincava com a disposição e forma do texto e das ilustrações para sugerir o tema da loucura, tão presente no background do clã.

Páginas que precisavam ser lidas em um espelho, páginas de cabeça pra baixo, a ilustração de um vampiro literalmente "comendo" as palavras de um texto (que por isso não tinha um final), ilustrações que pareciam rabiscos infantis, esse tipo de coisa. Era simples, não era exatamente bonito, mas tinha o efeito desejado. Foi muito frustrante ver a segunda edição do clanbook e constatar que trazia apenas um texto comum como em todos os demais livros da coleção.

O outro é a versão brasileira de Blood & Honor. Publicado aqui pela Redbox Editora, e com projeto gráfico do Dan Ramos, esse é um dos RPGs mais bonitos que eu já vi. Trata-se de um jogo ambientado no Japão feudal, e tudo nessa versão nacional remete a isso. A versão brasileira é inclusive muito mais bonita que a versão original do jogo.

Esse jogo sim tem um layout de cair o queixo!

terça-feira, 22 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Quais RPGs São os Mais Fáceis Para Você Conduzir?

O RPG mais fácil para eu jogar é de longe o D&D até sua edição 3.5. E não é difícil de entender, já que é um dos primeiros RPGs que aprendi a jogar, e certamente o que eu mais joguei. A boa retrocompatibilidade  ao longo das edições (é bom explicar: apesar de não existir retrocompatibilidade real a partir do D&D 3.0 a base do sistema continua parecida o suficiente para a adaptação ser feita com quase nenhum esforço) também ajuda que seja fácil para eu jogar D&D mesmo em suas diversas encarnações.

Até hoje sou capaz de mestrar esse aqui vendado e com um pé nas costas!

Isso também faz com que a maior parte dos retroclones seja bastante natural para mim. E dentre estes, o Old Dragon é o que eu mais tenho facilidade, tanto por ser em português, quanto por já ter produzido bastante material para ele.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Faz Mais Com Menos Palavras?

Eu não sou um grande fã de sistemas minimalistas (e antes que alguém venha argumentar a respeito, quero deixar claro que um jogo não precisa ser rules light para pertencer à OSR), e por isso acho um pouco difícil escolher que RPG consegue oferecer uma melhor experiência de jogo com o menor número de palavras.

Isso porque, para o meu gosto, ou o jogo deixa algo a desejar, ou não é realmente tão pequeno assim. Mas isso não significa que eu não reconheça a qualidade ou validade de jogos minimalistas - eles só não são muito a minha praia.

Sendo assim, para não passar a pergunta de hoje em branco, eu escolho como um jogo "bastante completo" apesar de seu tamanho o Pocket Dragon (que infelizmente descobri não estar mais disponível no site da Redbox).

Para quem não conhece, o Pocket Dragon é o irmão gêmeo caçula do Old Dragon - gêmeo porque eles tem quase a mesma idade, o Pocket sendo apenas pouco mais recente.

Ele foi criado para ser impresso em uma única folha A4, dobrada de forma a montar um livreto de 8 páginas (incluindo a capa). Em seu sistema super simplificado ele traz as raças e classes clássicas do Old Dragon, subatributos, sistema de combate e magia, lista de feitiços e equipamentos, e regras de experiência e evolução.

Resumindo, um jogo OSR completo em uma única página tamanho A4.

domingo, 20 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual a Melhor Fonte Para RPGs Fora de Catálogo?

Comprar jogos que não são mais publicados é muitas vezes mais uma questão de paciência e aproveitar as oportunidades do que simplesmente saber onde procurar. Digo isso porque achar os jogos em si não é tão difícil, o mais complicado é ter certeza do estado de conservação do material e encontrar o RPG que você quer por um preço justo.

A forma mais fácil de encontrar jogos é através do eBay ou do Mercado Livre. No entanto, nem sempre você consegue ter uma ideia real do estado de conservação do material até a encomenda chegar em sua casa.

Por essa razão, um dos locais que eu acho melhor de comprar RPGs fora de linha é a Noble Knight Games. Os preços deles nem sempre são baratos, e o frete costuma ser caro (lá sempre vale à pena comprar várias coisas de uma vez para fazer valer o frete), mas eles tem a melhor classificação de condição do material que eu conheço. Você pode confiar 100% na classificação que eles derem para o produto, sem se preocupar.

Mas o lugar que eu mais gosto de comprar RPGs usados é em sebos. O ruim é achar os jogos nestas lojas - é quase sempre uma questão de sorte, mas quando você os encontra, você tem a oportunidade de ver em primeira mão como está o jogo, e mesmo de barganhar com o dono do local a respeito do preço. Já encontrei coisas excelentes em sebos, incluindo a caixa básica de Spelljammer com os marcadores de naves ainda sem serem destacados por apenas R$ 70,00, e um boxed set original da 1ª edição de Paranoia em inglês.

Outra opção interessante são os grupos de vendas pelo Facebook. Lá é possível conversar com o vendedor, pedir fotos, e negociar o preço. Claro que, diferente de sites de venda como o Mercado Livre, você não tem muita garantia de que o produto será entregue corretamente após o pagamento e não há mecanismos automáticos de devolução de dinheiro. Você tem de confiar na honestidade do vendedor para comprar dessa maneira. Mesmo assim, às vezes é possível encontrar grandes oportunidades de compra dessa forma.

sábado, 19 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Apresenta a Melhor Escrita?

Não vou me atrever a afirmar que o jogo A ou B é o mais bem escrito de todos. Ao invés disso, vou escolher um material que, ainda que eu não necessariamente considere ser o mais bem escrito de todos, é escrito de uma forma que me agrada muito.

Não trata-se de um jogo per se, mas sim de um suplemento. Na verdade, um conjunto de suplementos para o cenário Ravenloft: a série Van Richten's Guides.

Cada guia era focado em um tipo específico de criatura das trevas.

Não que a prosa dessa série seja verdadeiramente primorosa além do que é encontrado na média dos livros, mas o que me atrai nesses livros é que cada um deles é escrito como se fosse um guia de caça a monstros redigido pelo próprio Dr. Rudolph Van Richten, o famoso caçador de monstros da Terra das Brumas.

Enquanto o Dr. Van Richten vai descrevendo e analisando todas as características relacionadas a respeito do tipo de criatura que o manual aborda, há caixas de texto que explicam a implicação mecânica dentro do jogo do que está sendo citado pelo Dr. e que não fazem parte do texto principal.

Eles são assim, não só um manual de jogo, mas de fato um material existente dentro do cenário. Os personagens poderiam, teoricamente, botar as mãos em um desses guias e ter acesso a tudo o que está escrito como se tivesse sido redigido por Van Richten em pessoa (isso é, tudo menos as caixas de texto que trazem a tradução do texto para as regras do D&D).

Anos mais tarde, outro RPG iria fazer uso de um recurso bastante similar: Castle Falkenstein. Este jogo também era escrito como se fosse narrado por um viajante dimensional que teria parado em um passado alternativo da Terra onde existem magia e criaturas sobrenaturais. Ele vai descrevendo o cenário enquanto conta suas experiências nesse local estranho, e mesmo o jogo em si é descrito como uma espécie de entretenimento praticado naquele lugar e introduzido aos locais pelo próprio narrador principal do livro.

Essa forma de tratar o texto não só como algo externo ao cenário do jogo, mas como algo pertencente a este, é algo que mesmo que não seja escrito da forma mais primorosa possível, me agrada bastante.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Você Mais Jogou na Vida?

Essa é fácil de responder: Dungeons & Dragons.

Apesar de que, se  eu tiver de destrinchar a resposta na edição do D&D que eu mais joguei na vida, aí é um pouco mais complicado. Tenho de pensar um pouco a respeito e fazer alguns cálculos.

De 1994 até meados de 1997 eu devo ter jogado BD&D (em sua encarnação da caixa preta da GROW) semanalmente, quase sem exceção. Então, transferimos nossa campanha (então) corrente para o AD&D 2ªed.

Devemos ter jogado AD&D 2ªed semanalmente por mais um ano ou dois, e de forma intermitente continuei jogando essa edição até o ano 2000, quando foi lançado o D&D 3.0. Ainda voltei ao AD&D algumas poucas vezes depois, mas nada muito significativo (com o hype da 3ª edição quase ninguém mais queria saber do AD&D, uma pena).

Durante o ano 2000 eu joguei D&D 3.0 quase todos os dias úteis por alguns meses - do lançamento do jogo até o fim do ano, mais ou menos. Aí veio a faculdade, e eu devo ter ficado uns 6 meses mais ou menos sem jogar.

Mas depois voltei à ativa e passei anos a fio jogando o D&D 3.5 (na verdade, um misto do 3.5 com o 3.0 já que nunca consideramos eles como edições distintas mesmo). Conduzi ou participei de ao menos 3 grandes campanhas nesse sistema, que duraram vários anos cada uma - fora os jogos ocasionais.

De fato, até hoje eu jogo o D&D 3.5 - ainda que ele não seja minha edição predileta, é a que o pessoal do grupo mais tem familiaridade e facilidade.

O D&D 4ªed e o D&D 5ªed eu joguei apenas um punhado de vezes cada um.

Assim, é provável que a edição do D&D que eu mais tenha jogado seja a 3ª (somando 3.0 e 3.5), pelo simples fato de que passou-se mais tempo desde seu lançamento até hoje do que desde que eu comecei a jogar D&D e o lançamento da 3ªed - ponto a partir do qual ficou mais difícil convencer o grupo a jogar as edições mais antigas.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Você Possui a Mais Tempo Mas Nunca Jogou?

Observando minha estante de jogos para responder essa, eu cheguei à conclusão que eu não tenho muitos jogos auto-contidos (isso é, descontando suplementos) que eu nunca tenha jogado. O que é algo muito bom, na verdade!

Destes, aquele que eu possuo a mais tempo e ainda não consegui jogar é provavelmente o Dust Devils, publicado pela Redbox Editora. Considerando que ele foi lançado em 2012, e eu devo tê-lo comprado no ano do lançamento, é um jogo que eu possuo a menos de 5 anos que está sem ter jogado.

Considerando a quantidade de jogos que eu tenho aqui, eu esperava uma marca bem pior do que esta na verdade, mas até que eu não estou tão ruim assim.

Agora, o material de RPG que eu tenho a mais tempo e nunca consegui usá-lo em jogo apropriadamente trata-se de um suplemento de AD&D: o Guia de Campanha Para Undermountain, publicado nos anos 1990 pela Editora Abril.

Eu devo ter esse suplemento desde 1998 ou 1999 (comprei quando os direitos do material já estavam com a Devir), mas infelizmente nunca consegui mestrar uma campanha se passando em Undermountain. Já tentei, mas o grupo acabou se dispersando antes de começarem a exploração da masmorra. E também já usei partes do material, como magias e monstros, mas nunca consegui usar o material todo como deveria.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Você Gosta de Usar Como É?

A ideia da pergunta de hoje é identificar um jogo que você gosta de usar sem modificações e adaptações. Eu sou do tipo de mestre que frequentemente faz alguma modificação ou alteração nas regras, ainda que menor, então não são muitos os jogos que eu jogo exatamente como são originalmente.

Mas ainda assim existem jogos que eu jogo sem realizar alterações, seja por uma razão ou outra. Um destes jogos é o GURPS.

GURPS é um sistema genérico e bastante completo, com regras que cobrem praticamente todas as situações. Além disso, o sistema é construído de forma que as regras como estão no livro já trazem os blocos básicos para construir qualquer habilidade nova ou diferente sem precisar realmente modificar nada. Também é um jogo bastante modular, com opções de usar o conjunto de regras completo e bastante complexo, ou versões parciais e simplificadas. Isso faz de GURPS um jogo em que não é necessário fazer modificações ou adaptações de regras, no máximo escolher quais das várias opções você vai usar ou não.

Outro jogo que faz muito tempo que eu não jogo, mas que quando o fazíamos era sem nenhuma modificação - e que se um dia eu voltar a jogar novamente, também será, é Rolemaster.

Rolemaster é um jogo meio travadão, cheio de tabelas para determinar o sucesso e o resultado de suas ações. Isso deixa pouco espaço para escolher exatamente as manobras realizadas por sua personagem, já que o resultado é dependente do valor atingido nas tabelas.

Mas o charme do jogo é justamente esse, suas tabelas mirabolantes, cheias de resultados infames. Ser surpreendido pelos resultados que as tabelas trazem é a grande diversão desse sistema, e por isso mesmo Rolemaster é um jogo que para mim deve ser jogado como é, sem mexer em muita coisa.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Você Tem Mais Prazer em Fazer Adaptações?

O RPG que me dá mais prazer em criar adaptações é o Old Dragon. Pela sua própria natureza, Old Dragon é designado mais como uma toolbox, um conjunto de regras a ser usado como ponto de partida, do que como um jogo imutavelmente completo.

É um jogo baseado no conceito de ruling over rules, isso é, onde o mestre julga as situações e decide como o sistema responderá a elas ao invés de se apegar estritamente apenas àquilo que está escrito no livro de regras. Muitas situações não estão previstas no sistema de regras de propósito, e o mestre deve decidir como ele lidará com isso por um ponto de vista de sistema de jogo.

Isso em conjunto com a familiaridade do sistema, que é um clone modificado das edições antigas do D&D, o torna para mim um jogo extremamente agradável para realizar adaptações.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

#RPGaDay 2017: Qual RPG Você Prefere Para Jogar Campanhas Abertas?

A ideia dessa pergunta, sobre o que eu traduzi aqui como "campanhas abertas", é qual jogo é o preferido para campanhas sem um final predeterminado, aquelas campanhas em que o mestre deixa o jogo rolar sem ter uma ideia clara de como a campanha irá acabar - se é que irá acabar alguma dia.

Minha resposta para isso talvez seja um pouco óbvia para qualquer um que siga este blog: Dungeons & Dragons. Em qualquer uma de suas encarnações, sejam suas várias edições ou seus clones (exceto a 4ª edição... eu não curto o D&D 4ª ed).

No geral, para uma campanha mais longa, eu prefiro uma evolução mais lenta, então eu sempre me sinto mais confortável com algo mais próximo do BD&D ou AD&D, ou as encarnações mais recentes do D&D com modificações no passo de evolução para dar uma freada no ritmo.

A Rules Cyclopédia é uma das versões do D&D que trabalha muito bem o end game.

E o BD&D e o AD&D tem uma vantagem que ficou meio que ausente nas versões mais modernas do jogo: o dito end game. Aquilo que acontece quando os personagens estão em nível alto e poderosos o suficiente para realmente influenciar seriamente no andamento do mundo de campanha. Construir fortalezas, torres, guildas e templos, atrair seguidores, administrar reinos, comandar exércitos, e porque não, virar uma divindade!

Poucas coisas são mais legais em uma campanha de final aberto do que conseguir chegar ao end game, e então trocar de personagens os quais passarão a jogar no mundo onde os feitos da geração anterior agora fazem parte do cenário!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...